Sintomas, tratamento, prevenção e mais sobre zika

Sintomas, tratamento, prevenção e mais sobre zika

O vírus é um flavivírus transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti ou pelo Aedes Albopictus, responsável pela transmissão da microcefalia e outras deficiências sérias ao sistema nervoso central. Muito relacionado com a dengue e a chikungunya, se originou na floresta Zika de Uganda, daí o nome Zika vírus.

Entrou no Brasil em 2015 e foi declarado como uma emergência em saúde pública mundial, pela Organização Mundial da Saúde em Fevereiro de 2016.

O Ministério da Saúde divulgou, que até o dia 02 de Janeiro de 2016 foram identificados 3.174 casos suspeitos de microcefalia no Brasil. Sendo Pernambuco o local mais afetado, com mais de um terço dos casos identificados. 😱

No estado do Rio de Janeiro foram identificados 118 casos de suspeita de microcefalia até o começo de 2016. Até junho de 2016, o vírus foi identificado em 63 países. 😰

OS TRANSMISSORES

Vamos falar um pouco sobre os transmissores da zika no Brasil:

AEDES AEGYPTI

O risco mora no fato do mosquito fazer seus criadouros muitas vezes em pequenos recipientes de água e água parada dentro das nossas casas. 😳

Ele não pode voar longe para obter uma refeição de sangue e se alimenta quase exclusivamente em seres humanos, por isso fica tão perto de habitações humanas. Ao contrário do Culex (Pernilongo) que se alimenta à noite e madrugada, o aedes aegypti alimenta-se principalmente durante o dia, porém também pode atacar ao entardecer.

Pode transmitir diversos arbovírus, principalmente a dengue, chikungunya, Zika e febre amarela. ⚠️

AEDES ALBOPICTUS

O Aedes albopictus originou na Ásia e também foi transportado ao redor do mundo em áreas tropicais, subtropicais e temperadas alguns através do comércio internacional.

Ele possui capacidade de sobrevivência em climas mais frios maior que o Aedes aegypti, o que lhe dá uma maior capacidade de se espalhar em áreas com climas temperados, como a Europa e alguns estados dos EUA. Diferente do Aedes aegypti, o albopictus prefere áreas mais verdes, como zonas rurais e florestas, e demonstra preferência por sangue de animais. 😉

Foi registrada a presença do mosquito no Rio de Janeiro e São Paulo, porém, não foi encontrado nenhum infectado com o vírus.

SINTOMAS

Uma grande proporção de pessoas infectadas não têm ou têm sintomas leves. Apenas uma em cada cinco pessoas infectadas desenvolvem sintomas aparentes e raramente morrem da doença. O risco maior é para grávidas, que podem tem seus filhos com Microcefalia e também pela chance da vitima contrair a síndrome de Guillain-Barré (SGB), que pode levar a morte.

A doença dura por 2-7 dias e os sintomas mais comuns da zika são:

. Febre baixa;
. Erupção cutânea;
. Dores nas articulações (moderada);
. Inchaço nas articulações;
. Conjuntivite (olhos vermelhos);
. Dor muscular (moderada);
. Dor de cabeça (moderada);
. Hipertrofia ganglionar (intensa).

COMO DIFERENCIAR ZIKA DE CHIKUNGUNYA E DENGUE?

Os sintomas são semelhantes aos da Dengue e Chikungunya, que também são transmitidos por mosquitos Aedes, o que causa muita confusão nas vítimas.

Você pode diferenciar a Zika da Dengue e da Chikungunya pela hipertrofia ganglionar, que aparece somente na Zika pela coceira que é mais forte que a Chikungunya e Dengue, pelo inchaço nas articulações, que na Zika é frequente e leve, na Chikungunya é mais intenso e na Dengue raramente aparece.

TRANSMISSÃO DA ZIKA ENTRE PESSOAS

Existem diversas formas de se transmitir a Zika de uma pessoa para outra:

CONTATO SEXUAL
O vírus Zika pode ser transmitida de um homem infectado ao seu parceiro sexual antes dos sintomas aparecem, durante e depois de os sintomas terem desaparecido.

MÃE PARA FILHO
Uma mulher grávida que está infectado com o vírus Zika pode passá-lo para o feto durante a gravidez. O vírus Zika pode causar microcefalia e outros defeitos cerebrais graves no feto.

TRANSFUSÃO DE SANGUE
Já foram relatados inúmeros casos de transmissão do vírus da zika pela transfusão de sangue no Brasil. O vírus também foi encontrado em uma pequena proporção de doadores de sangue na Polinésia Francesa durante um surto.

TRATAMENTO

Ainda não existe vacina e nem tratamento específico para a doença. A doença é geralmente leve e não requer qualquer tipo de tratamento. Porém existem alguma medidas que devemos tomar em caso de infecção:

. Descansar bastante
. Beber muita água
. Utilizar analgésicos e anitérmico para dor e febre
. Ingerir alimentos leves para não sobre

Duram cerca de 3 a 5 dias, se durarem mais que isso, procure um médico. Pode se tornar uma pneumonia em casos mais graves. ⚠️

PREVENÇÃO

Procure evitar lugares de alto risco e tome medidas de prevenção contra picadas de mosquito.

Repelentes de insetos, camisas de manga longa, calças, telas nas janelas, portas e janelas fechadas, ventiladores de teto principalmente na sala e quartos são algumas medidas de prevenção que podem ajudar. 👍

Procure por possíveis criadouros, tanto provisórios como permanentes em toda a sua casa, e também no condomínio.

Peça que o seu síndico analise a possibilidade de uma empresa realizar o controle de mosquitos, caso os agentes de saúde não vão até a sua casa.

Elimine todos os entulhos, lixos, garrafas, latas, pneus e outros itens que possam servir como recipientes de água parada no seu quintal. ⚠️

Verifique se a sua calha está acumulando água da chuva e se suas cisternas estão em bom estado e bem fechadas.

Coloque areia na borda de todos os vasos do seu quintal e procure evitar plantas aquáticas.

Não se esqueça de alertar seus vizinhos, amigos e familiares. Se cada um fizer a sua parte, já ajuda e muito. 👊 😄

Leia mais sobre prevenção contra mosquitos.

Ainda não seguiu
a gente no Instagram? 😮

Dá uma conferida, você vai adorar!

Conheça nosso Instagram

Ainda não
seguiu a gente
no Instagram? 😮

Dá uma conferida, você vai adorar!

Conheça nosso Instagram